De uma geração que antecede aos milênios, via com desconfiança os cursos online oferecidos em diversas plataformas, mas no último ano resolvi investir nessa experiência e, para além do resultado financeiro, a experiência tem sido incrível. E sobre essa experiência que eu gostaria de refletir brevemente.

Quando surgiram as plataformas que permitiam a realização de cursos online, eu vi com desconfiança, tanto por uma questão geracional, quanto por observar a quantidade de picaretas que emergiram oferecendo supostos cursos com promessas impossíveis de realização financeira ou de puro charlatanismo.

Com o tempo, comecei a observar que profissionais qualificados e com propostas ousadas, começaram a ocupar esse espaço, mesmo que desvinculados de instituições de ensino superior já consagradas. Esse aspecto me animou a buscar e analisar mais de perto essa experiência e a mudar o meu olhar sobre ela.

Ao mesmo tempo, com a pandemia e com as novas regulamentações do ensino superior “explodiram” as propostas de EAD e de cursos online oferecidos por diversas instituições. Confesso que as minhas experiências com ensino superior, sobretudo o privado, tanto presencial, quanto EAD, passavam por um momento de reavaliação.

As instituições, de uma forma geral, se tornaram muito grandes adotando sistemas e fórmulas de ensino cada vez mais engessadas. Os professores estão cada vez mais enquadrados, tanto em conteúdo, quanto em metodologia, em formas de ensino estabelecidas por sistemas de ensino, designer institucionais etc.

Como resultado, aquilo que eu mais prezava no ensino, a liberdade e a experiência para buscar a qualidade e a reflexão, ficaram cada vez com menos espaço. Dessa forma, eu não sentia que ali estava desenvolvendo tudo que poderia. Não conseguia avançar em temas, em experiências em explorar possibilidades e fazer novas propostas. Com isso, me sentia preso e até repetitivo.

A descoberta do ensino online representou uma nova possibilidade de trabalhar de formas diferentes e com novas propostas. Essa liberdade me abriu para o novo e para a ousadias que ganham cada vez mais espaço, sempre na busca por oferecer nas aulas e mentorias o que de melhor eu posso fazer, pois a minha única preocupação imediata é responder aquilo que os participantes necessitam para o seu desenvolvimento, curiosidade, aprendizado, tensões e problemas.

Evidentemente, a liberdade também significou novos desafios e dificuldades. Reelaborar e repensar propostas do que é oferecido. Contudo, superando muitas dificuldades, posso dizer que ela me permitiu abrir um novo horizonte e, hoje, eu já não sou o mesmo professor nos demais formatos também. Eu aceitei o desafio e senti que me aprimorei, durante todo esse processo. Hoje, acredito estar apenas no início de novas transformações e desafios.