• Resenha do Filme Cinzas na Neve
  • Comentário sobre o lançamento durante a AABS2018
  • Recomendação sobre o documentarista

Cinzas na Neve. No último dia da Conferência da AABS 2018 (Association for Advancemente of Baltic Studies), realizada na Universidade de Stanford tivemos o prazer de assistir o belo filme Ashes in the Snow  (Cinzas Na Neve)do diretor Marius Markevicius, estrelada por Sophie Cookson e inspirado na obra literária Between Shades of Gray da Ruta Sepetys.

É um filme emocionante que mostra um episódico dramático vivenciado pelos lituanos (e demais países bálticos). Em 1941, Estônia, Letônia e Lituânia estavam sob ocupação soviética. Ao comando de Stalin foi organizada uma brutal deportação em massa para a Sibéria daqueles que eram considerados “inimigos” do povo e suas famílias.

A narrativa de Cinzas na Neve

No filme, e no livro, o dramático episódio é narrado pelas experiências de uma menina de dezesseis anos com dons artísticos. Inspirada pelo pai, ela buscou a carreira de pintora. No entanto, a vida da personagem foi arruinada pelo assassinato do pai e a deportação dela, junto com a família, para a Sibéria. Na Sibéria, eles foram colocados em trabalho forçado, em situação de miséria absoluta e condições que ferem a dignidade humana. 

Vale a pena conferir o filme, e o livro (disponível em inglês e português) é sempre interessante vermos a Segunda Guerra Mundial por outras narrativas que não a dos vencedores. Ao mesmo tempo, longe dos heróicos filmes de Guerra e de batalhas gloriosas tão presentes no cinema, a sensibilidade e o drama humano ganham voz nos personagens do cotidiano. Gosto de filmes, e livros, que nos levam por esse caminho e essa é uma bela obra nesse sentido.

Os temas lituanos são bastante presentes na obra do jovem diretor Markevicius. Talvez algo que a diáspora lituana sempre carregue com ela e seus descendentes seja o encantamento pelos dramas da Lituânia, e por isso eu deixo aqui mais uma recomendação do mesmo diretor: The Other Dream Team (2012). Esse é um documentário sobre a seleção da Lituânia de basquete que disputou a Olimpíada de Barcelona (1992) pela primeira vez como país independente depois do fim da anexação a União Soviética e ganhou o terceiro lugar.