Para compreendermos a nossa sociedade, os cientistas sociais formulam conceitos que possibilitam definir e entender características da nossa contemporaneidade. Na atualidade, um conceito que começa a ser utilizado com mais frequência no Brasil é o de pós-política. O que é pós-política? Como ela nos ajuda a entender o nosso momento político?

            Certamente, você já escutou pessoas, e até políticos, afirmarem que não são: “nem de direita e nem de esquerda” ou afirmando que suas decisões e seus princípios são somente técnicos. Esse discurso, de valorização da técnica e de negação da política é o que podemos conceituar como pós-política.

            A pós-política, ao valorizar a técnica, a boa gestão, a decisão administrativa, esconde no seu discurso a verdadeira opção política do indivíduo, como se fosse possível para alguém se colocar acima das ideologias, ou acima da política. No discurso da pós-política, qualquer embate político e ideológico é visto como negativo, como atraso, ou como desnecessário.  

            Por isso, políticos que se utilizam do discurso da pós-política tem por hábito acusar o outro, em geral a esquerda, de serem ideológicos, enquanto eles mesmos estariam fora destes debates por serem mais racionais do que as disputas ideológicas.

            O problema da pós-política é que ela tem o papel de enganar aqueles que participam da política. Ela serve unicamente para mascarar um ponto de vista, uma ideologia e as suas posições diante das questões sociais. O pós-político se apresenta como técnico, quando, de fato, a sua verdadeira intenção estão dissimuladas, mascaradas, escondidas em planilhas, dados, falsos exemplos e distorções da realidade. Essa postura, tem por objetivo impedir o debate político sufocar as escolhas que a sociedade pode fazer.

            Em uma democracia liberal, no Estado de Direito, a pós-política é perigosa, pois impede os debates de diferentes ideias, de diferentes opções que podem surgir em muito dos debates, sobre qualquer tema relacionado ao Estado ou a sociedade. A democracia, em uma perspectiva liberal, é justamente o debate, o conflito entre ideias e ideologias que se opõe e, dentro de um conjunto de regras consensualmente aceitos, disputam o seu espaço de poder sem eliminar a outra. A anulação do debate por meio do tecnicismo, ou da negação da ideia do outro acaba por anular a própria política e por consequência a democracia.

            A consequência da pós-política é invariavelmente o autoritarismo, mesmo que disfarçado de uma democracia formal, pois a democracia precisa da política para ser efetiva. O autoritarismo disfarçado de técnica e a negação da ideia do outro, nada mais são do que a imposição da vontade de um grupo sobre os outros negando as vozes dissidentes, negando a oposição. Portanto, lembre-se! Quando alguém se apresentar como neutro, como nem de direita ou de esquerda, quando alguém criticar a sua ideia como “ideológica”, está se usando a pós-política para impor a sua vontade e negar a sua voz e impor a sua vontade.

            No próximo artigo trataremos de outro conceito político relevante para os dias atuais: fascismo. Explicaremos sua definição, a sua origem e seus usos.